terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

cotas em infográfico

Das nossas 56 universidades federais, 20 oferecem vagas para cotistas. O tema, polêmico, inclusive do ponto de vista científico, mereceu reportagem e infográfico animado do G1. O info é bem básico e se propõe a mostrar um panorama numérico do sistema já implantado em vários estados. Embora a idéia do mapa seja interessante, faltou oferecer ao internauta uma forma de comparação mais direta e dados mais completos, como ano de implantação das cotas em cada Federal, por exemplo. Do jeito que foi publicado, se você quiser saber, por exemplo, em qual estado há maior percentual de reserva de vagas para negros, vai ter de clicar em cada um deles, anotar os números no velho bloco de notas - virtual ou não - e conferir os resultados, na linha faça você mesmo. Certamente, alguém há de dizer que isto não deixa de ser interatividade e personalização....

2 comentários:

Matias disse...

O mapa teria sido bom, mas de tamanho minúsculo para vermos todos os estados que têm cotas. O realmente interessante seria uma tabela com todos esses dados que eles picotaram e inutilizaram.
Mas tabelas não são atraentes, não vendem e não ganham Malofiej. "Somente" informam e deixam o leitor tirar suas próprias conclusões e mostram os dados da melhor maneira. Ninguém parece se importar demais com isso, e menos ainda no G1.

Daniel disse...

Acho que o mapa seria uma representação interessante se os estados fossem preenchidos com gradações de cor. O estado com maior número de vagas reservadas apareceria mais escuro, por exemplo. Poderiam ser escolhidos outros critérios ou até mesmo permitir ao usuário definir o critério que ele gostaria de aplicar na gradação de cores do mapa.
Outra alternativa seria plotar no mapa pontos representando cada universidade. Como são poucas por UF, no máximo três ou quatro, isso poderia funcionar muito bem num Google Maps. Permitiria ao usuário fazer um zoom no ponto de uma universidade e ver a foto de satélite do campo. E também logo de cara mostraria quais estados possuem apenas uma universidade com cotas ou aqueles que possuem algumas. É claro que isso demandaria um pouco mais de tempo, mas creio que muitas vezes é mais por falta de visão das potencialidades que por falta de tempo.